eu (não) quero

sinto-me estranhamente perdida num cruzamento de ideias e pensamentos sem nexo. rumo sem sentido porque perdi as coordenadas da minha felicidade à muito tempo. vivo confusa, lutando contra forças que estão paralelas à minha resistência, sem qualquer opção que não seja suportar. já pouca coisa me leva à razão e eu só posso resistir. desisto. volto a repetir: estou perdida. preciso de uma direcção, de um caminho, de algo que não me leve a ti. porque tu és o foco das minhas dúvidas, és o caos e eu não devo perder-me em ti. não quero respirar

Sem comentários:

Enviar um comentário

«sorri, esquece, dorme, sonha; mas sobretudo, vive»